sábado, 5 de dezembro de 2009

Podia ser com vc,alias, eh com vc tambem!!




Goiânia, 26 de novembro de 2009.

Meu nome é Thiago.

Minha esposa foi assassinada no dia 23 de setembro de 2009. Polyanna Arruda Borges Leopoldino, uma publicitária de enorme talento, uma pessoa de bem e uma cidadã exemplar. Ela amava a vida. Ela produzia crescimento e arte para a sociedade. Incentivava empresários e estudantes, se preocupava em ajudar pessoas carentes, tinha uma vida íntegra, dedicada ao bem ao próximo e à fé em Deus. Tinha sonhos para realizar, queria ter filhos e criar projetos de boas ações para tornar o mundo melhor.

O motivo dessa carta não é apenas compartilhar com você a minha dor. Quero dividir sim o vazio que é perder uma pessoa amada de forma tão cruel. Mas o motivo maior é dizer pra você que isso acontece todos os dias ao nosso lado, mas a gente finge que não vê e continua seguindo em frente sem fazer nada para promover mudanças.

É, mas agora aconteceu comigo. Minha esposa foi morta cruelmente com 8 tiros, sem motivo algum. Ela foi abordada quando ia para a Universidade Católica de Goiás palestrar para jovens universitários sobre empreendedorismo, consciência ambiental e social, lema da agência de propaganda que ela criou e liderou com muito talento e amor por 5 anos.

Há 2 meses a polícia investiga o caso, mas ainda não tem respostas.

E se fosse com você? Se tivessem matado sua esposa, seu esposo ou sua filha? Como você se sentiria? Como seria o seu Natal esse ano? Como seria a sua vida daqui para frente? Você pode se por no meu lugar por um minuto?

Só de imaginar dá calafrios não é.

É, hoje eu sinto na pele, na alma e no coração como é o mundo que a gente vive. E eu, que mudava de canal pra não ver violência no noticiário, agora vivo isso 24 horas por dia. Minha vida perdeu o sentido, eu perdi minha mulher que amava e agora não posso mais mudar o que já aconteceu.

Mas amanhã, meu caro amigo ou amiga, pode ser você ou alguém que você ama a próxima vítima!

Será que não podemos fazer nada pra tentar mudar isso?

Será que a corrupção e a violência são maiores que a fé e a vontade de fazer o bem nesse mundo?

O meu apelo é para que não mude de canal ou tape os ouvidos. Leia essa carta, reflita, sofra um pouco a minha dor se for possível. Veja o que acontece dentro de você, dentro da sua casa. Muitas vezes o crime começa dentro dela. Nós, a classe média, a classe intelectual, por incrível que pareça, sustentamos esse mundo de drogas, tráfico, armas, roubo, corrupção e impunidade.

Abram os seus olhos de uma vez!

Vamos deixar de ser hipócritas e pelo menos uma vez na vida olhar para o que acontece diante dos nossos olhos.

Minha vontade é de lutar em união com aqueles que desejam um mundo mais seguro para nossas famílias, infelizmente ainda não sei como. Talvez só de falarmos sobre isso já estejamos dando o primeiro passo. Então você empresário, jornalista, publicitário, funcionário público, estudante que estiver lendo essa carta, abra os olhos, abra a boca, reclame da nossa situação. Ajude-me a dizer pra todo mundo que nós não queremos mais viver à mercê da injustiça, da impunidade, da violência e da corrupção do nosso país.

Desculpem o desabafo.

Obrigado.
Thiago Leopoldino.

****A THAIZA ME MANDOU,TODOS QUE MORAM EM GOIANIA ACOMPANHAM,MESMO QUE DE LONGE, ESSA HITORIA TRISTE.E QUEM NAO CONHECE ,PODE E DEVE, PELO MENOS, SE INDIGNAR JUNTO!!

3 comentários:

Anônimo disse...

Literalmente dá calafrios, fiquei toda arrepiada. E ele está tão certo quando fala que as pessoas vivem se esquivando de notícias ruins como se fossem inatingíveis, como se o problema só acontecesse na casa do outro. Mas, enfim... é pedir para Deus dá forças, ele sempre dá!!!!

Bjs
Daniela

Thaiza Nacaxe disse...

Nossa valeu demais por ter colocado no blog. Eu não os conhecia pessoalmente, mas estudavamos na mesma faculdade, temos a mesma profissão e a felicidade deles era transparente.

Beijos.

Ana Carolina disse...

Nó na garganta.